Jill Bolte Taylor: derrame e a felicidade

Jill Bolte Taylor é uma neuroanatomista, estudando o funcionamento do cérebro que teve a oportunidade de estudar um derrame em primeira pessoa.Em um relato comovente, ela conta sobre o funcionamento dos hemisférios do cérebro e a experiência da manhã em que um vaso rompeu dentro do seu cérebro e alterou sua vida e visão do mundo.

E eu senti essa sensação de paz, imagine como seria perder 37 anos de bagagem emocional. Eu sentia euforia, era lindo. E novamente meu hemisfério esquerdo voltou e avisou “você precisa prestar atenção, nós precisamos conseguir ajuda”. E eu pensei “eu preciso de ajuda. Eu preciso de foco”. Eu saí do banho e me vesti mecanicamente e eu pensei “eu preciso ir para o trabalho. Eu consigo dirigir?” E nesse momento meu braço direito ficou completamente paralizado do meu lado. E eu percebi: oh, meu Deus, eu estou tendo um derrame. E a próxima coisa que meu cérebro me disse foi: uau! Isso é tão legal! Quantos cientistas do cérebro tem a oportunidade de estudar o próprio cérebro de dentro para fora? E então passou pela minha mente: “Mas eu sou uma mulher ocupada! Eu não tenho tempo para um derrame!” 

Veja também: Sherwin Nuland conta sua experiência pessoal com eletrochoque

22 thoughts on “Jill Bolte Taylor: derrame e a felicidade”

  1. Thank you for that. Jill Bolte Taylor’s My Stroke of Insight is one of the most incredible stories I’ve heard in a long time. Her TEDTalk video blew my mind wide open to new possibilities. On the one hand, there’s what she went through and how she emerged from it. On the other hand, there’s what she can teach all of us.
    I saw the 4 part Oprah interview on Oprah dot com Soul Series and I did learn a lot from that, but I’d like to find our more of how to do what Dr. Taylor did, without having a stroke of course!
    Thin how many of us are living too much in the head, and not the heart. And of course, you can’t get more left brain than a Harvard Brain Scientist. Isn’t it ironic that she should be the one to have the stroke and transform from the quintessential left brainer into this “”seen the light”” disciple of finding inner peace?
    I hope this movement keeps going. Maybe there will be My Stroke of Insight classes where we can practice what Jill Bolte Taylor is preaching.

  2. Thank you for your comment, Rebecca.

    Maybe it is exactly because she was a Harvard brain scientist that she was able to make people understand what she went through in a way that even strictly brain-type analytic people like me, who rejects a lot of mysticism, wouldn’t scoff at her conclusions.

  3. MY STROKE OF INSIGHT was ranked #5 in all books sold on Amazon today and #1 in Memoirs above even Barbara Walters’ memoir. Babs had been promoting her book for months in advance and Dr. Taylor’s book was self-published.

    Then Oprah recommended it. There’s the Power of Now, and then there’s the Power of Oprah!!

    “My Stroke of Insight” is out in Hardcover now for less than the old paperback edition. Amazon has it for 40% off.

  4. When God kicked out Adan and Eve from heaven He gave them a left brain!!!
    That´s my conclusion from all this.

    Very courageous doctor to share her experience with us, usually doctors hide things like that are not in medical books or have proper research that are validated in medical community.
    Thanks for sharing this with us and I believe that we are energy, our vision still limited by a body that is “dense” and “solid” at least we think we are!

    Minha conclusão disso tudo é;
    Quando Deus expulsou adão e Eva do paraíso, incluiu no cérebro deles a parte esquerda do cérebro!!!

  5. A-M-A-Z-I-N-G!
    Thanks for sharing, and let’s spread some more peace.

    namastê

  6. ola eu meu mone é angela tenho um prablema , faz 4 anos que eu to doeca tive um derrame serio que eu merrea . um beijos a sorte

  7. Your experience and the way of sharing it with us are wonderful.
    From the bottom of my heart I thank you for helping me to continue searching and studying other dimensions I can understand but cant see.

  8. Esse relato de Jill Bolte Taylor me tocou profundamente. E tenho certeza que é através da meditação que podemos ter acesso ao lado direito do nosso cérebro, onde está a centelha divina. Como disse Jesus “O Reino de Deus está dentro de vós”.

  9. Eu descobri sobre o relato esses dias e é realmente impressionante.

    Parece que há uma entrevista online na Ophra tb. Depois passo o link.

  10. Jill teve uma experiência de mergulhar no Nirvana.

    Eu conheço várias pessoas que tiveram a mesma experiência. E li diversos outros relatos sobre isso também.

    A prática da yoga e meditação na verdade tem essa experiência como objetivo final. Os yogis avançados vivem esse nirvana 24h por dia.

    Meu pai, por exemplo, viveu uma experiência dessas na juventude. Durou algumas semanas, segundo ele. E desde lá, ele diz que não sossegou. Que sua vida virou uma busca incessante por aquela sensação de paz profunda e perene.

    De seus estudos ele me conta que a mente (não exatamente o cérebro) é um músculo imaterial. Sua função é pensar e analisar e classificar etc. É quase involuntário. E isso gera um barulhão que esconde o fino ruido de fundo que é o realmente somos.

    Meditação nada mais é do que uma espécie de musculação para a mente. Meditação trabalha a contração da mente. Uma vez bem exercitada com meditação, ganha-se o poder de focar a mente onde quisermos, sem distrações. Um descomunal poder de concentração.

    Ganha-se também o poder de anular a mente. E é aí que se sente o Nirvana.

    Yoga, até onde entendo, é uma prática diária para preparar o corpo e a mente para a meditação. Yoga não tem nenhuma relação direta com tonus ou elasticidade ou força física. Essas coisas vêm como conseqüência da prática, mas não são o objetivo final.

    Acho que o aconteceu com Jill foi uma espécie de semi-anulação da mente onde ela manteve somente a conciência ativa, para lembrar do fato e depois contar para nós.

  11. Li o livro de Jill Taylor, já traduzido em português. O título é “A cientista que curou seu próprio cérebro”. A pessoa interessada pode comprá-lo na Livraria Cultura. Vale a pena ler.
    José Sarques

  12. estamos passando a mesma coisa na nossa familia, dia 23 de setembro a minha irmã Alessandra do Rio de Janeiro Brasil, teve o mesmo tipo de derrame, ela esta no Cti lutando pela vida e nós da família estamos sem saber o que fazer para ajudar, descobrimos o seu livro numa livraria Saraiva, e ficamos impressionados com a semelhança do caso, compramos até o seu livro para sabermos mais detalhes, ficamos feliz com o sua cura e esperamos que nossa irmã tenha a mesma benção. um grande abraço

  13. Marcos Tadeu S Santos
    Os relatos da Dra. Jill são extraordinários. Se não se apresentasse como uma cientista, pensaríamos estar diante de uma mestre da ioga, um tibetano ou zen budista ou mesmo o Krishnamurti (grande pensador indiano). Seus relatos acerca da grande Ilusão da separativadade humana são maravilhosos, se igualam aos ensinamentos do Buda e outros orientais. Conte comigo na divulgação desta obra. A cîência e a religião acabarão se encontrando, creio eu.

  14. Li a entrevista e gostei muito, foi muito interessante, estou com um caso na família onde um dos meus irmãos sofreu já 02(dois) derrames, estamos com dificuldades para ajudá-lo a se recuperar, desejo comprar o seu livro para ver se consigo algumas informações, para ajudar o meu irmão.
    Faço uma pergunta qual o profissional mais indicado para orientá-lo a fazer o tratamento? Visto que ele perdeu a vontade de viver, já tentou o suicídio. Como ajudá-lo?

  15. Sou psicologo e em 1998, mais precisamente dia 28 de julho tive um acidente fazendo o ?Ralli dos sertões e fiquei 98 dias em coma.
    A partir de então comecei a estudar Neurociencias e hoje, até trabalho nessa área, inclusive.
    Hoje trabalho com retorno do coma e rememorização.
    mas falando do coma, eu depois por estudos rememorei todos os dias com os perfis médicos, e pude traçar uma linha bem elaborada sobre o funcionamento cerebral.
    Ouvi tudo na maior parte do coma, se bem que só fui reconectar as informações depois que acordei.
    Hoje teno algumas pequenas sequelas que as controlo, muito bem

  16. Sou médico pediatra e, tbém estou em fase de recuperaçao de um AVC(porém, isquemico) decorrente de uma patologia bem incomum- dissecçao da artéria carótida direita. fazem 3 anos , está sendo um período bem difícil,porém, com o exemplo da Dra. jill, vejo que lutar vale a pena como sou de um ramo da medicina que aprendeu que quando o cérebro é danificado, nunca mais retornamos a ter as células lesadas

  17. Para quem estuda Cabala isto só vem confirmar a existência de uma energia superior em cada um de nós, que teimamos em desconhecer , incentivados por cientistas. Os cabalistas se amparam na ciência – física quântica- para conscientizar-nos deste poder. Esta médica só veio trazer luz para a vida de muita gente, com sua esplendorosa experiência – uma epifania!

  18. As vicissitudes são alternativas diferentes entre os indivíduos, assim somatizamos no organismo o que teve origem nas funções psíquicas. A Drª Jill é exemplo perfeito do potencial criador que todos os seres humanos possui e de como a mente funciona.

  19. Olá, minha mãe (D. Nide) sofreu um AVC há 8 meses, ficou com muitas cequeas como, fala embolada, sem movimentono braço direito.
    Gostria de uma orietação de tratamento além da fiioterapia, como remédio caseiro por exmplo.
    Desde já agradço pa atençao,com voo de
    muita PAZ.
    Bjs, você é uma guerreita

  20. Olá, que a paz esteja com todos. Tenho 44 anos e não passo por uma fase muito boa na vida. Minha pressão arterial costuma ser normal.
    Ontem, comecei o dia em uma alegria, que nem eu mesma sabia dizer o porquê. É certo que não me sentia muito bem, mas mesmo assim, resolvi ir buscar meu filho na escola e no caminho, simplesmente desmaiei na calçada, mas ouvia as pessoas falarem, mas não conseguia reagir. Fiquei assim por uns 7 minutos. Quando consegui abrir os olhos, fui levantando aos poucos, mas minha mente ainda estava confusa,e eu tinha dificuldade para falar.
    Pergunto: será que tive um pré-derrame?
    Mas peço que só me respondam médicos ou pessoas que já passaram pela mesma coisa.
    Obrigada. E fiquem em paz.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *