Henrique Schützer Del Nero

Prof. Dr. Henrique Schültzer Del Nero (1959-2008)Faleceu ontem, 9 de maio de 2008, o Prof. Dr. Henrique Shützer Del Nero. Um post sobre isso está no blog do fantástico Kogler. Fiquei sabendo por causa de uma pequena nota no final de um post interessante sobre o infinito do Ricardo Bittencourt.

Henrique Del Nero, entre muitas outras coisas, foi o autor do livro “O Sítio da Mente”. Esse livro, esgotado em papel, mas disponível on-line, é um dos livros mais interessantes que eu já li sobre o cérebro, a mente, a consciência e neurociência. Anos depois eu vim a ler alguns livros do aclamado Oliver Sacks, como o famoso “O Homem que Confundiu Sua Mulher com o Chapéu”, e Tempo de Despertar e acabei decepcionado, graças à memória do impacto que “O Sítio da Mente” causou em mim quando li.

Parte das idéias são as mesmas, mas eu já tinha sido convertido. Eu já entendia um pouco sobre o quanto nós temos uma idéia completamente errada do nosso próprio cérebro, vendo de dentro, e o quão importantes e ao mesmo tempo quão triviais são tratamentos para pequenas disfunções. Isso despertou o meu interesse no assunto, que pode ser visto por exemplo neste post sobre Jill Bolte Taylor e seu derrame e neste sobre Sherwin Nuland e a terapia de eletro-choque.  Isso me ensinou a não ter medo de psiquiatras e a não ter preconceito com depressão e especialmente com pessoas passando por fases de depressão. Além disso, esse livro também me ensinou a prestar atenção nas pessoas, e me poupou de um bocado de problemas ao me permitir identificar alguns sociopatas.

Eu sempre tive a idéia de um dia asssistir a algumas das aulas que ele dava no LSI. Agora eu não vou mais ter essa chance.

Uma grande perda, sem dúvida.

16 thoughts on “Henrique Schützer Del Nero”

  1. Fui aluna de pós-graduação do Prof. Del Nero na Escola Politécnica da USP, e tive a grata chance de poder compartilhar alguns momentos com suas perspectivas sobre o Cérebro, a Mente, a Razão, a Matemática, a Emoção, entre outros assuntos da Ciência Cognitiva. Recebí muito tristemente a notícia do seu falecimento, e um vazio que ficou para todos que o conheceram.

    Saudades, sua eterna admiradora: Marcia K.

  2. Tive o grande prazer de ter aulas com o Prof. Del Nero no ano passado e tinha decidido ter novamente aula com ele este ano ,no próximo semestre, por conta do envolvimento sinérgico que ele fazia em sua relações com a mente,razão e conhecimento multidiciplinar.
    Sem dúvida é uma grande perda. Um professor destemido e que ousava ir além do contexto.Um grande provocador, provocava em seus alunos a necessidade e a importância de não se contentar com mediocridade intelectual muito comum em nossa sociedade.Um apaixonado pela arte da educação e pelo país.Sinto-me previlegiado em ter tido aulas com este mestre,sem dúvida levarei na vida algo que aprendi com ele.

    Anderson JMC

  3. Tive a honra de ser aluno do Prof. Dr. Henrique Del Nero. Num momento em que eu começava a estudar Ciências Cognitivas, os vários assuntos que compõem esta nova ciência pareciam-me uma colcha de retalhos. O livro “O sítio da mente”, as aulas do Prof. Del Nero na Politécnica, sua tese de doutorado (ambos disponíveis online – site do Cognitio, grupo de estudos que ele coordenava e ajudou a fundar) me ajudaram a criar um sentido a toda essa gama de conhecimento. Na verdade, Prof. Del Nero pode ser considerao o “pai” da Ciência Cognitiva no Brasil, uma vez que ele foi o pioneiro a implantar na USP, no Instituto de Estudos Avançados (IEA) da USP o primeiro grupo de estudos sobre o assunto. Uma perda irreparável.

  4. Perdemos uma mente ousada mas, acima de tudo, perdemos um grande amigo.

  5. O Prof. Dr. Henrique Del Nero, ou como carinhosamente o chamávamos, Henrique, era, para mim, uma daquelas pessoas que conhecemos que paracem eternas tamanha sua energia de enfrentar a vida. A notícia de seu falecimento me causou um grande impacto, durante oito anos nossas histórias se entrelaçaram através do NAP Cognitio e suas brilhantes e eternas discussões repercutiram em minha pesquisa e em minha forma de olhar alguns aspectos da vida. Você vai deixar muita saudades, Henrique, mas saiba que suas palavras e sua imagem serão eternas em nossa memória e em nossas vidas. Minha mais profunda admiração e respeito.

  6. Fui colega de infância de Henrique Del Nero, crescemos juntos nos vendo todos os dias no Colégio Rio Branco.

    Se hoje sou Professor Titular da Universidade de São Paulo devo muito ao Henrique, pois ele foi a primeira pessoa que me ensinou a pensar.

  7. Conheci o “Dr Henrique” como paciente em 2000 … Nesses oito anos, essa relação profissional evoluiu para uma relação de amizade e admiração da minha parte. Henrique falava sobre todos os assuntos e pareceia ter a energia de um adolecente, sempre inquieto com tudo. Nao dá para descrever o qto ele me ajudou … vai deixar mtas saudades.

  8. Com muita dor fiquei sabendo hoje do falecimento do professor Henrique. Em 2005 tive a oportunidade de cursar a disciplina Fundamentos às Ciências Cognitivas, tão expertamente ministrada por ele. Na época eu iniciavameu doutorado em genética humana na USP e hoje estou associado à Yale University – os ensinamentos do Henrique foram fundamentais para o meu percurso, minha motivação e minha evolução. Tenho enorme admiração por ele, já estou sentindo e vou sentir muito esta perda. Tenho preservadas na memória muitas das aulas dele que assisti e sinto-me privilegiado por ter sido seu aluno.

  9. O Dr. Henrique Schützer Del Nero não
    era apenas médico/psiquiatra, bacharel
    em filosofia, pintor, escritor… Era, acima
    de tudo, um ser humano magnânimo.
    Extremamente inteligente,sábio,caridoso,
    solidário. A sua meta era o bem-estar de
    todo o mundo (tinha um coração capaz
    de abrigar toda a humanidade).
    Infelizmente , para todos nós, o seu
    coração não resistiu..
    No entanto, a sua obra e o seu pensamento
    permanecerão vivos para sempre.
    -Em 1998 entreguei-lhe pessoalmente
    um poema que fiz em sua homenagem,
    o qual abaixo transcrevo:
    PARAMÉDICO
    Se eu fosse um médico
    Eu cuidaria do ente
    Que me procurasse…
    … fosse ele pobre ou rico
    Seria cuidadoso e carinhoso
    E certamente
    Curaria o seu corpo
    E a sua mente
    Se eu fosse um médico
    Eu inventaria a descoberta
    do “Sítio da Mente”
    E nele plantaria
    Grãos que germinassem
    Harmonia, equilíbrio
    E necessidade…
    Necessidade de frutificar
    E multiplicar o que
    Já fora esparramado
    No chão do cérebro
    E do coração
    Se eu fosse um médico
    Também estudaria
    Filosofia e
    Também descobriria
    Para onde vão
    A eletrônica e
    A engenharia…
    Se eu fosse um médico
    Eu criaria uma corrente
    Contínua, outra alternada:
    Interligando o cérebro e o coração
    Estabelecendo a ponte do “Equilíbrio
    Necessário” para o raciocínio com a razão!

    Ao meu amigo Henrique Schützer Del Nero

  10. Fui paciente do Dr. Henrique durante 04 anos (2002/2006), estava numa fase complicada da vida com depressão aguda. Fui tratado, e a depressão passou a ser crônica. Continuamos a tratar com muitas trocas de medicamento par adaptação e terapia. Na terapia pude conhecer o Henrique como pessoa. Ao longo das terapias transferiamos conhecimentos um para o outro e ambos saíamos melhores. Ele abriu a minha mente para uma série de coisas que hoje fazem total sentido em minha vida.
    Por algumas pequenas diferenças, parei a terapia 1,5 atrás mas sem esquecer o bem que ele fez para mim. Henrique era uma pessoa do bem. Fara muita falta.

  11. Fui paciente do dr Henrique quando tinha 16 para 17 anos…,na época eu era muitooo imaturo para entender e compreender quem ele era de fato!
    Infelizmente,só anos mais tarde fui amadurecer e entender de verdade a figura do Dr Henrique e seus excelentes princípios e estudos que com certeza seráo ainda muito usados pelas próximas geraçoes!
    Hoje volto no tempo e entendo tudo que ele conversava comigo na época,e que eu imaturo de tudo nao conseguia entender…..,de fato a linguagem do Dr henqirue e seus pontos de vista sao demasiadamente profundos e inteligentes….,se uma pessoa nao parar pra pensar direito nao conseguirá acompanhar facilmente sua linha de raciocínio ,muito além do tempo!
    Agradeço muito ao Dr Henrique por ter feito parte do meu amadurecimento e ter me ajudado a enxergar coisas que eu demoraria muuuito mais a enxergar e que pra ele eram muito claras,como diminuir a ansiedade numa sociedade que valoriza cada dia mais essa ansiedade….!sem comentários!DR Henrique é único!

  12. O que dizer desta pessoa excepcional, médico e por que não dizer amigo ? Obrigada por tudo.
    Sentirei muito sua falta.
    Cíntia Maria Alvarenga Nunes

  13. Estranha sensação essa de chegar tarde demais. Acabei de ler um artigo escrito pelo Dr. Del Nero e tomei a decisão de enviar-lhe um e-mail para fazer alguns comentários e solicitar a sua opinião sobre um artigo de minha autoria publicado na Ciências & Cognição. Deparei-me com esse site, na procura do seu endereço eletrônico. Não o conhecia pessoalmente, mas não fiquei surpreso com o carinho expressado pelos que tiveram o privilegio de com ele conviver. Na condição de médico, bem sei que o maior de todos os reconhecimentos é aquele vindo dos pacientes atendidos no dia-a-dia.

  14. Há duas semanas, convocado pelos alunos da FMUSP para homenagear Adauto, nosso treinador de tênis que completava 30 anos na Atlética, procurando quem tivesse lembranças sobre a chegada do Adauto em 1978, não consegui localizar Henrique . Tristemente, só hoje ao ler no Jornal do CREMESP uma nota sobre uma homenagem póstuma soube de sua morte.
    Inteligente, instigante, estudioso, trabalhador, tenista de classe, Henrique deixa saudade !

    Venancio Avancini Ferreira Alves

  15. Alô Henrique, onde quer que você esteja, está fazendo muita falta por aqui.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *